Super FOG vs. New Super Mario Bros. U e New Super Luigi U

Introdução: New Super Mario Bros. U é o melhor jogo da série New já feito. Ponto. Estou afirmando isso desde já porque pretendo escrever este review dedicado à pessoas que se recusam a jogar o jogo acusando-o de ser a mesma repetição que as duas entradas anteriores da série (Wii e 2) foram.
Em 2011, a Nintendo revelava seu console de mesa de VIII geração, o Wii U, e visando demonstrar as funções sortidas do seu novo controle em forma de tablet, foi preparada uma demo chamada New Super Mario Bros. Mii, que permitia ser jogado sem a televisão e possuía detalhamento gráfico ímpar graças ao poderio do High Definition. No ano seguinte, aquela demo superficial evoluiu para o jogo que iremos analisar, sua superioridade está muito além de seus gráficos melhores, muito além de seu nostalgia service e certamente muito além de seus Power –ups.

O novíssimo jogo em si: A boa e velha história Mario aqui recebe uma sutil alteração, nada de raptar a princesa Peach e fugir para o mundo 8, desta vez Bowser invade o castelo da princesa aonde ela, junto com Mario, Luigi e os dois Toads anônimos de NSMBWii  estavam tomando chá, e usa um braço mecânico gigante para expulsar o quarteto de heróis do castelo e arremessá-los à quilômetros de distância e então ocupa o castelo, os Koopalings, agora com suas próprias airship fortresses, se espalham para impedir o progresso dos heróis enquanto Magikoopa aos poucos usa magia para esconder o castelo de Peach em um espesso ciclone de nuvens.
A principal mudança em relação aos anteriores é visto logo de cara, desta vez você se aventurará por um gigantesco mapa unificado, saem os Warp Cannons e entram no lugar fases secretas que permitem cortar bons pedaços de caminho no mapa, além disso temos algumas sutis adições, primeiro é que agora os mundos e fases possuem nomes, pondo fim ao “genericismo” de mundo 1-1, 1-2, etc. Segundo é que por causa da nova estrutura do mapa, viajar de um para o outro pode ser feito através de Warp Pipes, por último mas não menos importante, lembram-se do Toad que aparecia em fases aleatórias no NSMBWii e tínhamos que salvá-los? Esqueça-os e dê as boas vindas a Nabbit, um novo personagem que eu discutirei mais tarde.
Sendo este um jogo em um console de alta definição, nós temos um visível upgrade visual que vai muito além de elementos de fases mais detalhados. No próprio World Map, vemos que ele esbanja mais vivacidade com o extenso detalhamento, as fases em si não só abusam de texturas e mínimos detalhes como agora nós temos backgrounds poligonais e com vários níveis de profundidade, e também vemos fases com uma estética mais artística no decorrer da aventura.
O multiplayer é o mesmo de NSMBWii, quatro players simultâneos na tela podendo ser jogado com o Wiimote na horizontal ou também com o novo Pro Controller, durante este modo, o Wii U Game Pad fica com a função Boost Mode, aonde tocar na touchscreen faz blocos aparecerem, podendo ser utilizado para ajudar players e descobrir uma ocasional 3-up Moon, certamente que não é o melhor uso do Game Pad, mas para um jogo acessível como este, não é algo do qual você faria muitíssima questão, tanto que o Game Pad em si só é utilizado da melhor forma quando se joga sozinho, o jogo é compatível com a função Off-TV play, aonde você pode jogar o jogo completamente na tela do Game Pad sem usar a televisão (e vem sendo assim que eu aproveito a maior parte deste jogo).

Novos Power-ups: Assim como NSMB2, o jogo não traz tantos Power-ups novos quanto os dois primeiros jogos, mas diferente da contraparte para 3DS, este jogo contorna essa carência de uma forma muito efetiva. O novo Power-up da vez é o Acorn Mushroom, que transforma Mario em Flying Squirrel Mario, não confunda com o Raccoon Mario, este aqui funciona completamente diferente, você não tem um ataque especial com esse Power-up mas sim a habilidade de planar suavemente pelo ar, grudar em paredes e um Double jump similar ao Propeller Mushroom do jogo de Wii, só que diferente do Propeller, o Acorn te dá um controle melhor no ar e grudar nas paredes permite que você recupere seu Double jump, mais para frente no jogo você encontra um ocasional P-Acorn que te dá infinitos Double jumps, e quem progredir a fundo no jogo também descobrirá que todos os Power-ups de NSMBWii retornam neste jogo e funcionam da exata mesma forma. E para compensar a falta de novidades em Power-ups, este jogo traz um elemento novo para a série, os Baby Yoshis, existem três variações diferentes e eles podem ser encontrados tanto no World Map quanto nas fases em si, em comum os três Baby Yoshis tem a mesma habilidade de engolir inimigos ao se aproximar deles e, diferente dos Yoshis comuns, eles te seguem nas fases seguintes… err, com exceção de um. Ao sacudir o controle (ou apertar ZL ou ZR no Game Pad ou Pro Controller) você usa as habilidades especiais de cada um, o Baby Yoshi vermelho pode se inflar como um balão e mantê-lo suspenso no ar por um certo tempo, sacudir o controle várias vezes faz esse tempo aumentar além de sutilmente aumentar sua altitude, o Baby Yoshi azul solta bolhas que transformam os inimigos em moedas, e funciona com absolutamente qualquer inimigo, fantástico, por último o Baby Yoshi amarelo consegue iluminar lugares escuros além de produzir um flash que atordoa inimigos, este é o único que não te segue nas demais fases.
Além do retorno óbvio do trio Cogumelo, Flor e Estrela, também retornam os Power-ups de NSMBWii como citado anteriormente, Propeller Mushroom, Penguin Suit e Ice Flower, todos funcionam exatamente como antes, mas o Mini Mushroom recebeu a marcante melhora de permitir que o personagem corra em paredes, eliminando certos momentos de imprecisão causados pelo maior tempo no ar que esse Power-up causa.
Também retorna de NSMBWii a habilidade de armazenar vários Power-ups obtidos nas Toad Houses e ativá-los no multiplayer faz todos os jogadores equipá-lo, porém diferente de NSMBWii, seu inventário é limitado à uma certa quantidade de itens.

Fases e Mapas: Como eu mencionei antes, a mudança mais sensível deste jogo é um World Map unificado similar ao visto em Super Mario World, você viajará por várias localidades distintas todas unidas em um único mapa e também agora por localidades identificadas! Sua jornada começa em Acorn Plains aonde você conhece o Acorn Mushroom e os Baby Yoshis, passando pelo Layer-Cake Desert e suas estátuas de olhares suspeitos, encontrando uma bifurcação entre Frosted Glacier cheia de neve, gelo e pinguins, e Sparkling Waters com seus corais, quiosques de verão e um barco afundado, descerá por Soda Jungle que é dividida em duas seções, a primeira é pantanosa e cheia de água envenenada e a segunda é uma seção escurecida pelas árvores escuras e assombrada por fantasmas, superando o pântano você cruzará as Rock Candy Mines com seus trilhos de trem e caminhos labirínticos, subirá até Meringue Clouds e seus abismos sem fundo, e enfim chegará ao Peach’s Castle, que por causa da magia de Magikoopa se transformou em um lugar cheio de magma e fogo.
Então, ok, nos temos o padrão Mario de mundos tudo de novo, mas a melhor coisa a ser discutida aqui é o seu level design geral. Este jogo, especialmente comparado ao seu antecessor, faz um excelente trabalho no layout das fases e na quantidade de desafio oferecida, consigo facilmente me lembrar de todas as fases que eu gosto, e que não são poucas, neste jogo, minha satisfação ao jogar e rejogar as fases deste jogo é maior do que a dos jogos anteriores e, devo dizer, bastante comparável aos Mario 2D clássicos.

Chefes: Os chefes neste jogo seguem o esquema de NSMBWii em termos de progressão, derrote os koopalings para seguir ao mundo seguinte, encontre Bowser Jr. Eventualmente entre os mapas e confronte Bowser no final. Entretanto esse mero esquema possui algumas diferenças majoritárias em relação ao jogo de Wii, os Koopalings agora são exclusivos dos castelos, nas torres você enfrentará o Boom Boom em um esquema praticamente idêntico a Super Mario Bros. 3, as lutas contra os Koopalings em si foram completamente refeitas e o desafio de cada um deles é completamente novo, já a luta final contra Bowser sofreu um upgrade de proporções épicas! Esqueça destruir a ponte no final do corredor, esqueça correr do Bowser gigante até encontrar a switch gigante que faz o piso desmoronar, aqui nós temos de fato uma batalha final de verdade que oferece todo o desafio do qual você sentiu falta em todos os New anteriores, e uma música igualmente épica e cabível para tal momento.

Nostalgia Service: Por todos os elogios que eu dei ao Level Design eu poderia qualificá-lo como o melhor aspecto do jogo, mas essa honra vai ao Nostalgia Service. Comparado aos outros jogos da série New, este é disparado o com o maior número de callbacks dos jogos clássicos. Por exemplo, salta-se à vista a referência explicita a Super Mario World ao meramente ver aquele World Map unificado, mas além destes temos os Baby Yoshis e um mundo secreto chamado Superstar Road, além da volta de inimigos como os Torpedo Ted e os Sumo Brothers, uma fase em um barco afundado, por fora disso temos os Boom Boom de volta como chefe das torres, uma fase com versões gigantes dos inimigos, exatamente como em SMB3, e certamente há muito mais por aí.
Agora vamos sair um pouco do review e discutir por um ou dois parágrafos uma coisa que eu queria falar sobre há muito tempo. Não é novidade pra ninguém que a série New é constantemente acusada de ser uma reciclagem, uma repetição, um requentamento, mas ao mesmo tempo os fãs vem clamando por um Super Mario Bros. 4 já faz um certo tempo, oras, a série New não estaria entregando exatamente o que vocês vêm pedindo? Os quatro jogos da série em si são praticamente feitos ao redor de tudo que os fãs mais queriam, claro, não atendem exatamente tudo que pedem, mas atendem a maioria, e mesmo assim eles estão desprezando tudo isso e reclamando sobre reciclagens, e isso devido ao inconveniente fato de a Nintendo ter lançado dois Marios 2D no mesmo ano porém para consoles diferentes. Sim, eu avaliei NSMB2 com uma nota baixa e critiquei bastante o jogo mas porque naquele jogo eu encontrei motivos por fora da questão “reciclagem” para criticá-lo, mas em suma, nenhum dos NSMB até agora falhou com aquilo que os fãs queriam, na realidade, é exatamente o contrário, são os fãs que falharam com aquilo que os jogos têm à oferecer. Para encerrar, eu citei anteriormente o nome Super Mario Bros. 4 como aquilo que os fãs dizem estar esperando (baseando-me no fato de que todo jogo da série New recebia provisoriamente este nome quando em desenvolvimento), mas eu acho que a série New em si poderia ter outros nomes muito mais cabíveis:

NSMB = Super Mario Bros. 5
NSMBWii = Super Mario Bros. 6
NSMB2 = Super Mario Bros. 7
NSMBU = Super Mario Bros. 8

Lembrando que Super Mario Bros. 4 é formalmente o Super Mario World.
A Nintendo já deixou bem claro que “New” é usado unicamente para distinguir os jogos clássicos dos modernos, que usam modelagem 3D em seu design, mas eu garanto que essa nomenclatura é desnecessária, visto que os jogos nunca deixaram de ser jogados exatamente como os clássicos e sempre ofereceram tudo aquilo que os fãs sempre pedem.

Além da campanha principal: Este jogo possui três modos de jogo extras a mais da campanha principal, primeiro temos o Challenges que oferece desafios bem diversificados como um Time Attack regular, outros sugerem que você complete uma fase sem coletar moedas, obter várias vidas ao pisar em sequências de inimigos, completar uma fase somente com um Power-up, e etc., a melhor coisa é que há DEZENAS  de challenges para completar, obter o melhor ranking possível e postá-los no Miiverse.
Ah sim, vamos falar rapidinho sobre o Miiverse, o jogo possui integração total com a rede social da Nintendo, ao entrar no modo de visualização do World Map, é possível ver balões de texto em cima das fases contendo mensagens enviadas por jogadores do mundo inteiro, também é possível ver mensagens quando se perde uma vida em determinados pontos ou quando se obtém certas conquistas no game, ao passar uma fase o jogo eventualmente te oferece a opção de postar algo à respeito ou mesmo fazer um desenho no Miiverse e compartilhar com todo o mundo.
Além dos Challenges, há também o Boost Rush, similar ao Coin Rush do NSMB2 porém completamente diferente na prática, neste modo você passa por fases em auto-scrolling e o objetivo é terminá-las no menor tempo possível e com a menor quantidade de mortes possíveis, o diferencial aqui é que coletar moedas faz a velocidade do auto-scrolling aumentar, tornando o progresso mais difícil e requerendo mais pensamento rápido do jogador, jogando este modo com quatro jogadores é absolutamente hilário, basta pensar em todo o caos da campanha principal com quatro jogadores só que em esteroides.
Por último temos o Coin Battle, que é exclusivamente multiplayer, neste modo o objetivo é coletar mais moedas que os outros jogadores ao longo da fase, o que torna este modo interessante é o fato de você não poder ver a quantidade de moedas coletadas até o final da fase, você pode escolher entre qualquer fase do jogo e fazer uso do Boost Mode através do Game Pad.
Em resumo, os três modos de jogo fazem um excelente trabalho em aumentar a longevidade do jogo e trazer diversidade à fórmula, e diferente da campanha principal, nestes modos é possível selecionar o personagem que quiser! Você pode até mesmo escolher jogar com o seu Mii… caso você não se irrite com a voz genérica deles, como eu me irritei.

O que impede esse jogo de ser perfeito: Este jogo se sai muito bem em tudo que ele tem a oferecer, mas isso ainda não me impede de criticar alguns pontos que pesam na nota final. Em primeiro lugar, temos a trilha sonora, quer dizer, ela continua boa e certamente tem mais músicas inéditas que seus antecessores, mas considerando o quão incrível este jogo é, uma trilha sonora completamente inédita fez muitíssima falta aqui.
Segundo é o fato de o jogo não substituir os Toads anônimos de NSMBWii por personagens mais populares e carismáticos, por que não o Toad original e Toadette? Ou mesmo Wario e Waluigi? Por que o jogo te permite escolher o personagem que quiser nos modos alternativos e não no modo principal? Por que não posso usar meu Mii? Eu não achava isso um grande problema em NSMBWii, mas aqui isso só serviu para aumentar a imagem ruim que as pessoas têm contra o jogo.

New Super Luigi U:

Para concluir o review, vamos falar brevemente sobre o DLC criado pela Nintendo como parte da celebração do chamado The Year of Luigi. NSLU substitui todas as mais de oitenta fases do jogo original por fases completamente novas porém centradas em speed run, desafio e na gameplay diferenciada com o Luigi. Sim, Luigi, neste DLC o jogador 1 controlará exclusivamente o Luigi, que tem uma gameplay mais “escorregadia” comparada ao jogo original, ele tem um pulo mais alto, passa mais tempo no ar e possui tração ruim no chão, sempre deslizando. Além de introduzir fases completamente novas, o multiplayer também recebeu algumas mudanças, o Mario não aparece em momento nenhum neste DLC, então os jogadores 2, 3 e 4 passam a controlar os dois Toads anônimos e… Nabbit! Eu o citei anteriormente na introdução mas é aqui aonde Nabbit mostra ao que veio, no jogo original você tinha que perseguí-lo nas fases aonde ele se esconde e capturá-lo para ganhar um P-Acorn, aqui em NSLU ele se torna um personagem jogável com total imunidade à inimigos e elementos perigosos das fases (com exceção de magma e blocos que te esmagam), porém incapaz de usar quaisquer Power-ups, também é possível usá-lo no single player fazendo um certo comando antes de entrar na fase.
Mas o ponto forte deste DLC é o seu foco no desafio, este jogo é difícil e você vai morrer várias vezes! Você só tem 100 segundos e nenhum checkpoint. De novo, 100 SEGUNDOS E NENHUM CHECKPOINT! Reflexos serão testados, habilidades serão postas à prova e muitas vidas serão perdidas.
Se quiser experimentar, o DLC está disponível por $14,99, ou você pode comprar a versão limitada em disco criada unicamente para celebrar o The Year of Luigi, além destes, os novos bundles de Wii U incluem uma cópia de NSMBU com o DLC pré-instalado de graça.

Veredito: Mais uma vez eu digo, New Super Mario Bros. U é o melhor jogo da série New já feito. Nós temos um excelente level design, um absurdo nostalgia service, vários modos de jogo, opção de controles, Off-TV Play, integração completa com o Miiverse, uma aventura extensa que pode ser multiplicada por dois através do DLC, e acima de tudo é melhor que seus três antecessores em todos os sentidos! Como eu disse antes, os dois únicos agravantes para mim são a ausência de uma trilha sonora completamente inédita e a presença dos Toads anônimos. Talvez isso explique o fato de ser o jogo mais vendido do Wii U até o momento, muitas pessoas podem insistir em fechar a sua mente para este jogo e continuar a tratá-lo como um requentamento, eu apenas estou clareando o fato de ele ser muito mais do que pensam, não estou tentando convencer ninguém à nada aqui, mas é impossível negar que este jogo emana qualidade e é absolutamente indispensável à qualquer dono de Wii U.

score95

Ficha Técnica:

Plataforma: Wii U
Ano de lançamento: 2012-2013
Jogadores: 1-5

Anúncios

2 pensamentos sobre “Super FOG vs. New Super Mario Bros. U e New Super Luigi U

  1. Parabéns por esse Review perfeito, logo logo chega ao nivel de grandes youtubers como FunkyBlackCat ou BRKSEDU

  2. Esse Funky Black Cat eu não conheço, já o BRKsEDU é um m***

    Eu só gosto de youtubers estrangeiros, tipo SomecallmeJohnny.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s