Collab: Os melhores third parties para Wii U

Artigo feito em colaboração com Alexandre Gramiliki Vieira

Hoje venho aqui fazer uma participação especial aqui no Super FOG vs. sobre as polêmicas em relação ao GamePad, do Wii U. Sendo bem sincero, faz tempo que não escrevo artigos porque é simplesmente difícil dar opiniões hoje sem ser taxado de fanboy ou coisa do tipo quando o assunto é Nintendo. Você pode escrever textos de ódio, previsões sobre o apocalipse ou até mesmo dizer que o Game Pad é inútil sem ser taxado de Sonysta ou Caixista (fanboy da Microsoft tem apelido em pt-br. Forte apoio ao Brasil). Sendo assim, prometo medir as palavras para não ser julgado aqui. (palavras “não-medidas” removidas na edição :v )

Ha um grande grupo de genios pela internet dizendo que o GamePad não justifica o novo console, que nem a própria Nintendo sabe o que fazer com ele e claro, que as outras produtoras muito menos. Eu tenho o Wii U desde 4 meses após o lançamento, jogo todos os dias e ao contrário de vocês, não comprei apenas para jogar Mario e inventar mil desculpas para não comprar jogs fora da Nintendo. Esse vai ser o foco: títulos third-parties. Não faz sentido eu falar de títulos da Nintendo aqui, pois é só o que vocês compram e na maioria das vezes nem isso.

A primeira que vocês precisam ter em mente: inovador o GamePad é. Não tanto quanto o Wii – o console mais diferente em décadas – mas ele é. Anos luz a frente do padrão de joysticks usado ha uns 20 e tantos anos e que você fica aí, todo feliz pelo Xbox finalmente ter um D-pad decente e pela nova vítima da marca PlayStation ser o OUYA.

Uma das grandes reclamações (ou choro, ou prazer sexual em falar da Nintendo) que vejo sobre o GamePad é o fato dele não ser exclusivo na grande maioria dos jogos. O que é um tanto quanto engraçado. As mesmas pessoas que reclamam das opções de joysticks no Wii U, são as mesmas que queriam usar o Classic Controller no Super Mario Galaxy, Metroid Other M, Twiligt Princess e Skyward Sword. Skyward Sword. Skyward Sword, amigo. Pelo amor de Deus, Skyward Sword. (Nota do editor: Nunca joguei Skyward Sword, estou fazendo manuenção do texto original apenas)

A Nintendo ouve os chorões do Wii (o que não devia acontecer na minha opinião. Pois é da época onde fãs não davam pitaco que saiu uma tal de Era de Ouro) e decide colocar a opção de controles medievais em seus jogos no Wii U. Isso é a maior prova de que não importa o que a Nintendo fizer, as pessoas irão reclamar. (Um dos pontos que eu mais frequentemente discuto neste blog)

A questão é que, se você olhar para o GamePad e suas funcionalidades, verá que ele não precisa mudar o mundo para ser uma ferramenta agradável, simplesmente um excelente facilitador. Um bom exemplo é Darksiders II. Jogando em outras plataformas ou no Wii U Pro Controller, você precisa pausar o jogo e alternar entre várias opções para visualizar o que deseja. No Gamepad, está tudo em tempo real na tela de toque. Você pode visualizar seu inventário sem interromper a ação, equipando armas, armaduras, fazendo upgrades e etc. Você ainda pode visualizar um menu com todas as habilidades especiais do protagonista e ativa-las com um simples toque. Fora isso, ainda pode visualizar o mapa em tempo real, infinitamente superior ao pequeno radar no canto da tela, além de também ter acesso a quests e informações sobre elas. Tudo em tempo real, na tela do seu Wii U GamePad. Além do mais, o Miiverse existe.

Mudou o mundo? Não. Revolucionou o mundo dos videogames? Não. É um agradável facilitador? Sim. É melhor que aquela jaca de 20 anos atrás que você está usando neste momento? Também. Você nega todas as afirmações acima e defende religiosamente um culto secreto anti-GamePad? Use o Pro Controller. Será tão bom quanto nas outras plataformas, não pior.

“Alexandre, seu Nintendrone, esse é um multiplataforma. Digo num geral, a péssima utilização do GamePad!” ZombiU e Lego City Undercover são exemplos de IPs inéditas, não-Nintendo, que usam o GamePad de forma plena. Jogos consagrados da geração passada como Batman: Arkham City e Deus Ex: Human Revolution são exemplos de títulos refeitos com o GamePad em mente e o uso da tecnologia em ambos deixa a impressão de estar jogando games exclusivos para o Wii U. Need For Speed: Most Wanted U também entra na dança.

Eu poderia escrever detalhadamente sobre cada um deles, como por exemplo, Tekken Tag Tournament 2 e dizer que para um jogo de luta ele faz até demais. Mas não adianta escrever para quem não tem Wii U ou comprou pra jogar Mario, ignorando os third-parties existentes e ironicamente, pedindo mais. A minoria que está lendo que TEM Wii U, JOGA Wii U, é mais fácil eu simplesmente listar os títulos que joguei e usam o joystick de forma digna, sem forçar a barra.

Darksiders II –
Inventário, mapa expandido, visualização de quests, mapeamento de habilidades na tela de toque e Off-TV play.

Mass Effect 3 Especial Edition –
Comando de tropas pela tela de toque, mapeamento de habilidades na tela de toque, uso dos auto-falantes e microfone para partidas online sem necessidade de headset (100% funcional) e Off-TV Play.

Need For Speed: Most Wanted U –
GPS em tempo real, uso do sensor de movimentos, uso de auto-falantes e microfone para partidas online sem a necessidade de headset (100% funcional), Off-TV Play e menu de opções como alternar dia/noite, veículo, cores e atrapalhar policiais.

ZombiU –
Inventário e radar em tempo real, uso dos sensores de movimenos, uso da câmera, multiplayer assimétrico que não existiria sem o GamePad, entre outros. Acho que todos aqui jogaram ZombiU, certo?

Tekken Tag Tournament 2 Wii U Edition –
Mapeamento da lista de golpes na tela de toque, uso da tela de toque na customização de personagens e Off-TV Play. Esperavam mais de um jogo de luta?

Call of Duty: Black Ops II/ Ghosts –
Não venham com cara feia, Off-TV Play é uma função comum, realmente. Mas não dividir tela no multiplayer local é algo muito importante. Tão importante que me fez comprar um jogo da série.

Fifa Soccer 13 –
A sacanagem da EA com a versão não tira os méritos do uso do GamePad, que vão de uso do sensor de movimentos para bater falta a substituições em tempo real e mais um monte de papagaiadas. E ainda tem Off-TV play. Acredito que Madden 13 tenha recebido o mesmo tratamento, ouvi elogios sobre o uso.

Resident Evil: Revelations –
Inventário e mapa em tempo real, uso da tela de toque para resolver puzzles, uso de auto-falantes e microfone do GamePad para partidas online sem a necessidade de headset (100% funcional) e Off-TV Play.

Deus Ex: Human Revolution: Director’s Cut –
Uso da tela de toque para resolver puzzles, inventário em tempo real, uso do microfone para deixar mensagens de voz para outros jogadores e uso do sensor de movimentos para várias finalidades. Não joguei o suficiente, deve ter mais. Mas ao menos joguei, não li sobre.

Super FOG’s Picks.

Rayman Legends: Deixou de ser exclusivo, mas continua um fantástico jogo com um uso do Game pad expressivo o suficiente para deixar os produtores de New Super Mario Bros. U se remoendo de inveja, arrastar plataformas, rotacionar lanternas de vigilância, cortar cordas, fazer cócegas nos inimigos, cavar buracos em fases feitas de imensas barras de guacamole e, o melhor de tudo, fazer isso com CINCO jogadores ao mesmo tempo?! É o melhor platformer 2D dos últimos tempos, e só é assim graças ao Wii U! Se não acredita, basta ler o meu review.

DuckTales Remastered: Não um uso super extraordinário mas sim um muito cômodo e excelente falcilitador como o Alexandre bem citou, o mini mapa que você aciona ao pausar a apertar X é uma opção must have para novatos, desde que estamos falando em um jogo focado em exploração e coletar itens.

Notem a ausência da série Assassin’s Creed na lista e certifiquem se estão jogando títulos third-parties o suficiente antes de espalharem um mar de aids pela internet. Passaram Gelol?

Anúncios

3 pensamentos sobre “Collab: Os melhores third parties para Wii U

  1. Pessoal reclama do Gamepad, porque não jogou Okami no wii nem Marvel Ultimate Alliance no wii..
    Deixa o gamepad ser usado apra o que ele deve ser usado, não pra qualquer merda..AouihAihA

  2. O problema é que as pessoas são “cegas para botões”! No Wiimote, as pessoas não viam os botões A, B, 1, 2 e o D-Pad, só viam o bastão branco e só queriam saber de balangar o dito cujo de frente pra TV. No Game Pad as pessoas só veem a tela no controle e não veem os botões em ambos os lados. E eu constantemente me pergunto que raios de uso do Game Pad eles querem tanto ver?!?

  3. Eu gosto Muito quando o gamepad é visto como uma visão espacial ampliada, como o radar em zumbiU, ou ainda melhor como o minigame do Wario aquele do navio Pirata, gosto quando o gamepad vai além da visão da TV em tempo real.
    Sempre falo isso, desde que vi o Gamepad imaginei o Metroid Prime 2.
    imagina ter os visores da samus só usando o game pad sem precisar mudar a visão na TV, ou ainda o melhor poder ir ao Aethr no Gamepad ao mesmo tempo que navega na dimensão normal na TV.

    poder operar dois mundos simultaneamente seria lindo, até Zelda que costuma usar sempre 2 mundos se sobrepondo, imagina jogar simultaniamente os dois.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s