Super FOG vs. Bayonetta 2

Introdução: Acredite ou não, Bayonetta 2 foi anunciado dois exatos anos antes de seu lançamento, e boa parte do seu desenvolvimento nesse período se manteve em segredo por bons espaços de tempo. Mas o que mais marcou em seu anuncio foi a exclusividade para o Wii U.
Anunciado em setembro de 2012 em uma apresentação da Nintendo sobre o lançamento do Wii U na época, o anuncio de Bayonetta 2 como título exclusivo do Wii U foi recebido com ondas e ondas de negativismo, raiva e insatisfação pelos fãs, uma vez que o primeiro jogo era um multiplataforma, e querem saber, eu compreendia tudo aquilo, era realmente frustrante não ter acesso a sequência de um jogo do qual você é fã por motivos que você se recusa a entender. No caso, o que houve é que a Platinum Games tentou buscar uma parceria com a Sega, a publisher do primeiro jogo, para fazerem a sequência, que, de acordo com Hideki Kamiya, estava sendo secretamente desenvolvida há um tempo, mas a Sega acabou negando a parceria e lhes indicou a Nintendo, por estarem trabalhando em um novo console, a Nintendo aceitou e custeou todos os gastos com desenvolvimento do jogo e consequentemente tornou-se a publisher da sequência. Em palavras simples, a Nintendo não pagou pela exclusividade e sim pela existência do jogo! A exclusividade foi como uma consequência do acordo.
Quanto à mim, eu estava completamente neutro quanto à tudo isso porque de início o jogo não me interessava nenhum pouco, mas depois que eu joguei aquela maravilha chamada The Wonderful 101 do começo ao fim, Bayo 2 ganhou uma certa prioridade na minha coleção, assim como eu vivi a expectativa de que relançassem o primeiro Bayonetta para Wii U (coisa que felizmente aconteceu) e acompanhei notícias sobre o jogo e comprei o meu o mais cedo possível.

O jogo em si: A história começa em clima natalino com Bayonetta e Enzo fazendo as compras de natal em meio a um show aéreo de um esquadrão de caças militares, depois, Jeanne aparece falando sobre um desequilíbrio entre as Trinity of Realms e de repente, anjos aparecem atacando o show e causando desordem. E mais uma vez estamos controlando Bayonetta, agora de cabelos curtos, e chutando bundas celestiais no gênero Climax Action, assim como o primeiro jogo, Bayonetta usa armas nas mãos e nos pés, possui dezenas de combinações de combos envolvendo socos e chutes, Witch Time que se ativa ao desviar no último segundo e diminui o fluxo do tempo ao seu redor, finalizações com Wicked Weaves e Torture Attacks e técnicas que podem ser adquiridas ao decorrer do jogo. A principal novidade da gameplay é o Umbran Climax, ao carregar totalmente sua magic gauge, pressione L pra transformar qualquer ataque em uma rajada de Wicked Weaves e desferir toneladas de dano em seus oponentes, a satisfação de ver os inimigos serem pulverizados por socos e chutes gigantes se a menor chance de reação é indescritível.
De volta a história, após o caça militar da primeira luta ser destruído por um dragão, Bayonetta começa a ser perseguida por um gigante em cima de um trêm, ela e Jeanne lutam juntas para dar cabo da criatura, a dupla triunfa e Bayonetta finaliza invocando Gomorrah para devorar o inimigo, mas algo dá errado e Gomorrah sai do controle, acertando Jeanne, que pulara na frente de Bayonetta para salvá-la e acaba tendo a alma separada do corpo, só que antes de conseguir voltar, é tragada para o inferno, Bayonetta é obrigada a lutar contra Gomorrah e após derrotá-lo, confronta Rodin querendo saber aonde ficam os verdadeiros portões para o submundo com o fito de resgatar sua melhor amiga, isso a acaba levando para o pé da montanha sagrada de Fimbulventr, na cidade de Noatun.
A partir deste ponto, somos introduzidos a três novos personagens e um novo rumo para a história, que gira em torno de Aesir, o deus do caos, que busca dominar o mundo que um dia pertenceu à ele, em meio a isso, somos introduzidos à Loki, um garoto que usa cartas mágicas para atacar inimigos e tem crises de memória em toda cutscene que ele aparece, além deste, Bayonetta terá um novo rival contra quem lutar, o Masked Lumen (o mesmo que aparece no trailer de 2012) que persegue Bayonetta por ser uma Umbran Witch, com exceção de sua arma ser uma naginata de duas lâminas, o Masked Lumen é capaz de usar habilidades muito similares, só que envolvendo anjos, claro. E por último, temos o The Prophet, o vilão principal desta história, é ele quem lança o Masked Lumen contra Bayonetta e quer encontrar Loki à todo custo. Partindo deste ponto até o fim do jogo, Bayonetta irá passar por viagens interdimensionais, viagens temporais, enfrentará inimigos centenas de vezes maiores que ela, tudo com o fito de entregar boas doses de situações absurdas e ação em escala para os jogadores, tal como o primeiro jogo.

Novos Inimigos: Desde que esse jogo envolverá uma viagem para o submundo, Bayonetta lutará não somente contra anjos mas também contra demônios, cujos nomes são baseados em sensações e virtudes negativas (Pain, Insidious, Madness) assim como os anjos eram nomeados com base em sensações e virtudes positivas (Acceptance, Belief, Valliance). E eu posso dizer, por experiência própria, que os demônios neste jogo honram ser o que são, pois estão entre os inimigos mais desagradáveis e frustrantes de se enfrentar, possuem ataques fortes e impiedosos, são difíceis de combar, aparecem aos montes, enfim, são inimigos chatos e que testarão sua paciência de várias formas possíveis. Isso não significa que os anjos sejam inimigos mais mansos, eles ainda estão em maioria no jogo, nos proporcionando as lutas mais marcantes (como dentro da quebra de uma tsunami) e com direito a caras familiares que dividem a atenção nas lutas contra o Masked Lumen.

Duração da campanha: Sendo uma sequência, se espera uma campanha maior que a do jogo anterior, o jogo ainda é dividido em capítulos, que são divididos em Verses, que classificam a sua performance com medalhas ao fim de cada um e um troféu ao fim de cada capítulo. Assim como Bayonetta e Wonderful 101, as fases foram desenhadas com foco em várias playthroughs, há missões secretas para se procurar e seções que só são acessíveis ao se obterem habilidades que só são obtidas em partes posteriores do jogo.
Lembram-se que no primeiro Bayonetta haviam quick-time events repentinos que muitas vezes terminavam em Game Over caso você falhasse? Elas se foram de vez neste jogo, assim como ele é mais bondoso com o seu placar quanto ao uso de itens. Eu fiquei feliz que mudaram essas coisas, pois as QTEs do jogo anterior eram repentinas demais e mal te davam tempo para reagir, assim como era absurdo você ser punido por usar itens básicos de recuperação.

Tag Climax: Bayonetta 2 possui um modo multiplayer online aonde você pode escolher entre Bayonetta, Jeanne e Rodin para lutar contra inimigos e competir par ver quem faz mais pontos, ao mesmo tempo em que você coopera para que os dois consigam derrotar todos inimigos no limite de tempo. para jogar neste modo, você precisa obter verse cards que você destrava na campanha single-player, os halos que você obtém neste modo podem ser usados no single-player e vice-versa. É um modo interessante, mas não tão atraente quanto o modo principal.

Gráficos e som: O aspecto aonde o jogo brilha, temos visuais bastante inspirados, uma cidade ao pé da montanha bem cheia de lugares a se explorar, bons efeitos de luz e sombra, física de objetos convincente e os melhores gráficos de Wii U até o momento (eu acho eles melhores até mesmo que os de Smash Bros.), os personagens e inimigos também são bem construídos. No departamento sonoro, temos incríveis composições que seguem o estilo do primeiro jogo, com destaque, é claro, para o tema principal Tomorrow is Mine, para os temas de chefões e o tema do Masked Lumen.

Veredito: Bayonetta 2 concorreu ao prêmio de jogo do ano pela the Game Awards recentemente, e digo sem medo que merecia ganhar, o jogo é excelente em todos os sentidos e te incentiva a jogar mais e mais, o dinamismo e a intensidade da ação, a satisfação de finalizar seu inimigos com o novo Umbran Climax, os visuais e a majestosa trilha sonora, tudo neste jogo é excelente. E a melhor coisa é que comprando a mídia física, ele vem com o primeiro jogo incluso, todo o universo Bayonetta em uma só embalagem, não perca esta oferta e confira estes dois jogões!

score100

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s