Maratona Super Mario Bros. 30th Anniversary



Perdoem-me pelos longos 30 dias de inatividade, estive ocupado jogando Earthbound e participando de campeonatos de Smash Bros., e recentemente eu comprei Splatoon, mas isso é assunto para outras horas. Agora, para compensar o longo mês de inatividade, irei começar mais uma série de reviews do personagem mais popular da indústria dos jogos, que está prestes à completar 30 anos de existência na segunda semana de setembro. Anteriormente eu fiz uma série de reviews abordando a série New, agora eu irei abordar o começo de tudo, como a saga Mario começou de volta em 1985 e como aquele jogo sozinho salvou o mercado de consoles de uma crise devastadora ocorrida um ano antes. Mas primeiro, um pouco de história pessoal, como sempre.

Como conheci a série?

Acredite ou não, a primeira vez que eu ouvi falar em Super Mario foi por volta de 1994 com o desenho animado que passava na Globo, durante todo esse tempo, minha relação com mascotes de video game se resumia estritamente a Sonic e mais uns bonecos aleatórios que meu irmão e meus pais alugavam para meu finado Mega Drive. Claro que eu, sendo a criança fã de Sonic daquele tempo, queria muito um desenho do Sonic, e eis que esse estreou na programação infantil da Globo um ano depois.

Fun Fact, ambos os desenhos infantis do Mario e Sonic foram feitos pelo mesmo estúdio, DiC Entertainment.

Enfim, eu só conheci o Mario dos videogames por volta de 1998, dois anos depois de o meu Mega Drive pifar e passar esse tempo todo sem jogar video games, começou na casa de uma amiga da minha mãe, cujo filho tinha um Super Nintendo com um cartucho do Super Mario World, a curiosidade por causa do desenho animado falou mais alto e eu pedi para jogar, me diverti bastante com o jogo fazendo o que eu fazia em todo o tipo de jogo antes, andar pra frente e pular, até lá, já havia caído de amores pelo jogo e queria jogar mais. Posteriormente, através dos amigos do meu irmão, eu conheci Super Mario All-Stars, sem saber que aqueles eram jogos de NES remasterizados em 16-bits para o novo console, o mais jogado da turma era Super Mario Bros. 3 por motivos de “aquelas músicas eram divertidas pra burro!” Eis que em 1999, meu pai ganha um SNES em uma rifa de um colega de trabalho e comecei desde já a suplicar por um cartucho de Super Mario World como presente de natal de 1999 para 2000, digo sem nenhum arrependimento que foi um dos natais mais felizes da minha vida, e Super Mario World continua sendo até hoje o meu jogo da Nintendo favorito de todos os tempos!

A idéia é que eu conclua a maratona a tempo do lançamento de Super Mario Maker para Wii U, o principal jogo comemorativo para o aniversário de 30 anos do Super Mario Bros. original. Serão cinco jogos para se avaliar, então digamos que este será um mês corrido para mim, espero que apreciem a leitura.

Super Mario Bros.

Super Mario Bros. 2 (The Lost Levels)

Super Mario Bros. 2 (USA)

Super Mario Bros. 3

Super Mario World

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s