Super FOG vs. Super Mario Bros. 2 (USA)

Introdução: Embora eu concorde que vetar o lançamento de um jogo por causa de sua dificuldade, mesmo para aqueles dias, seja um motivo muito torpe, é inegável também que a dificuldade de SMB2 Lost Levels era absurdamente brutal! Enfim, com o veto de Lost Levels, a NOA ficou com uma lacuna nos jogos do Mario que precisava ser preenchida de alguma forma, então, escolheram o jogo Doki Doki Panic e substituiram os quatro personagens principais por personagens Mario. E a despeito de não ser exatamente o Super Mario Bros. 2 que muitos estavam esperando, esse jogo introduziu alguns marcos interessantes, como o primeiro a ter vários personagens controláveis, incluindo a princesa Peach, todos os quatro com diferenças notáveis de gameplay. Posteriormente, o jogo foi relançado no Japão com o nome Super Mario USA e ficou famoso entre os fãs por ser um Mario totalmente diferente do usual.

O jogo em si: Esqueça boa parte da ambientação dos dois jogos anteriores, esqueça os blocos [?] e esqueça o conjunto de inimigos, aqui, Mario e seus amigos vão parar no mundo dos sonhos de Subcon, que vive sobre o domínio do malvado Wart, cabe ao quarteto derrotar o malvado rei e restaurar a paz desse mundo, até a história é diferente para os padrões Mario! Você também não encontrará Goombas aqui e nem nenhum outro soldado do Bowser, de fato, os inimigos desse jogo sequer morrem com pulos, em vez disso, você tem que subir em cima deles, carregá-los e arremessá-los uns contra os outros, a parte disso, o chão das fases é cheios de plantas para se tirarem do chão e usá-las como projéteis contra inimigos. Uma coisa nova deste jogo não existente nos originais é a movimentação vertical da câmera, aqui ela ainda se movimenta quadro a quadro, mas foi uma mecânica que foi aperfeiçoada com o tempo em jogos mais modernos.

Quatro personagens: O grande destaque do jogo é a possibilidade de escolher qual personagem controlar, primeiro você tem Mario, que se controla normalmente, Luigi, com o mesmo gameplay do Lost Levels adicionado de uma animação de pernas se mexendo no ar, Peach, com sua icônica habilidade de flutuação (que só passara a ser reconhecida em Super Smash Bros.), e finalmente Toad, que anda, corre e puxa vegetais do chão mais rápido. Você começa escolhendo um personagem para uma fase e pode trocar após completá-la.

Vegetais: Puxar vegetais do solo é tão importante como pular no primeiro jogo, eles são sua arma primária para derrotar inimigos e descobrir os segredos do jogo, a maioria do tempo você puxará rabanetes, mas eventualmente você pode tirar um nabo grande que acerta vários inimigos, uma bomba para explodir paredes frágeis e eventualmente uma poção mágica que te transporta para o sub-espaço. Se prestar atenção, verá que não existe cogumelos aqui, em vez disso há três ícones de coração na lateral esquerda da tela que medem sua vida nesse jogo, tome três hits e perca uma vida, porém ao entrar no sub-espaço você tem 5 segundos para coletar moedas para um bônus e um super cogumelo que aumenta sua vida de 3 para 4 e te restaura completamente se você estiver com dano mínimo.

Inimigos: Como eu disse antes, nada de Goombas, Koopa Troopas, Hammer Bros. (graças à Deus), Buzzy Beetles e etc., você está em um reino totalmente diferente enfrentando um oponente totalmente diferente. Então, o que temos no lugar? Shy Guys, que são os equivalentes dos Goombas, Snifts, que atiram balas pelos narizes, Pidgits, que atacam em tapetes voadores, Bob-ombs, que se disfarçam de vegetais e explodem, Ninjis que tentam bloquear seus pulos… para alguns, a seleção de inimigos desse jogo pode ser bem chata, mas à nível pessoal eu achei maior e bem mais variada que os inimigos dos dois Super Mario anteriores, tanto que muitos desses inimigos posteriormente foram incorporados ao universo Mario e se tornaram personagens recorrentes.

Chefes: Créditos a esse jogo, nós temos inimigos fortes diferentes para enfrentar ao fim de cada mundo, mas infelizmente nenhum deles se tornou tão memorável quanto os inimigos normais para continuarem a existir no universo Mario. Bom, todos com exceção de um: Birdo! O dino rosa com sexualidade questionável está sempre guardando o fim de cada fase atirando ovos pela boca, você precisa devolver 3 deles na cara dele/dela para derrotá-la, e por algum motivo ele/ela é o personagem mais icônico dentre os inimigos desse jogo, não sei se é por causa do seu gênero indefinido ou o que seja. Ah, e fique atento com a variação que cospe fogo em um dos mundos.

Derrotados todos os chefes, sobra apenas Wart, um sapo gigante vestindo uma roupa de rei, dentro da sala dele está a Dream Machine que te trouxe para este mundo e que também é a ferramenta para a derrota do chefe, sim, Wart é burro o suficiente para criar uma máquina que serve basicamente para o mocinho derrotá-lo. Com Wart deposto, a paz retorna a Subcon e os cidadãos de ovacionam, em uma mudança de cena, é revelado que toda essa aventura se passou nos sonhos do Mario, mas minha nossa, que sonho vívido esse!

Veredito: Embora muito diferente, e por certas vezes estranho, Super Mario Bros. 2 USA foi fundamental para manter o momentum da série no ocidente. Mas mal sabia o mundo que este era apenas os preparativos para a revolução que o universo Mario estava prestes a sofrer em 1989, aguardem o próximo review!!

score75

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s