Super FOG vs. Super Mario Bros. 3

Introdução: Bem-vindos ao Mario mais revolucionário de todos os tempos! Você pode contestar a minha afirmação citando jogos como Super Mario 64 ou Super Mario Galaxy o quanto quiser, mas esse review está aqui para provar que é verdade! Porque mais do que uma mera sequência, Super Mario Bros. 3 é um salto estratosférico comparado aos dois primeiros jogos em todos os sentidos possíveis, a Nintendo estava tão confiante no sucesso do jogo que o promoveu com uma quantidade absurda de marketing!

Além desse comercial, uma das formas de promover o jogo você certamente viu no filme O Gênio do Video Game (The Wizard, no original), que foi a primeira aparição pública do jogo para os norte-americanos. E tamanho estrondo se repetiu também no sucesso comercial do jogo, estabelecendo-o como o jogo mais vendido do NES, mesmo tendo sido lançado entre 1989 e 1990, pouco antes de o ciclo do NES se acabar, e o motivo é bem simples, porque este é o Mario mais revolucionário de todos os tempos!

O jogo em si: O jogo é uma massiva expansão de conteúdo, ambiente, design e som, aqui somos introduzidos aos overworlds, que representam cada mundo com sua correspondente ambientação e que contém bem mais que as quatro fases por mundo dos dois primeiros jogos, ou seja, não basta apenas completar a fase com Mario, você também deve guiá-lo à fase seguinte controlando-o pelo overworld, que em si também é cheio de coisas a se fazer, como jogar minigames para ganhar itens ou trombar com inimigos fortes no meio do caminho (maioria sendo Hammer Bros.). Os power-ups começam pelos corriqueiros Super Mushroom, Fire Flower e Starman que funcionam exatamente como antes (com a Starman tendo um tempo menor de duração e adicionando um efeito de pirueta aos pulos do Mario), adicionados de CINCO novos power-ups, como a icônica Super Leaf que dá ao Mario o poder de voar por um curto período de tempo e a habilidade de golpear inimigos e abrir/quebrar blocos com seu rabo de guaxinim, esse é o mais recorrente dos power-ups novos, os próximos serão discutidos nos próximos parágrafos.

Um reino mais aberto: O Mushroom Kingdom desse jogo é mais aberto e amplo que os dos jogos anteriores, porque além dos novos overworlds, as fases também estão mais amplas e variadas, o level design também está mais variado, mais polido, mais energético e, importantíssimo lembrar, mais balanceado (né, Lost Levels?). Agora podemos andar para frente, para trás, para cima e para baixo, com a Super Leaf podemos explorar além do chão da fase. Aqui também somos introduzidos às infames fases de auto-scrolling, onde você é obrigado a continuar andando porque a câmera não para de se mover pela fase.
Quanto aos overworlds em si, eles possuem variações de tema que impactam diretamente nas fases contidas nele. O mundo 1 é cheio de grama e plataformas, um bom lugar para se começar uma aventura. O mundo 2 é deserto, árido e além de ter pirâmides também tem um sol assassino… sim, aquele solzinho bizarro que desce a tela e te ataca em uma das fases, quem nunca… O mundo 3 tem pouca terra e muita água. O mundo 4, que é o favorito de muita gente, tem coisas gigantes e exageradas. O mundo 5 te leva aos céus. O mundo 6 é gelado e chato. O mundo 7 é cheio de canos, plantas e uma música que parece ter sido composta pelo Bob Marley. O mundo 8 é o paraíso vulcânico do Bowser, magma, escuridão e uma infantaria de ataque composta por tanques de guerra e fortalezas voadoras te aguardam.

Os novos inimigos: Sendo um novíssimo jogo, Super Mario Bros. 3 também traz novos capangas para o Bowser, inicialmente nós encontramos variações como os Paragoombas que nada mais são que Goombas alados e demoram um pulo a mais para serem derrotados, Piranha Plants que soltam bolas de fogo, Boomerang Bros. que atiram bumerangues em vez de martelos e conseguem ser tão irritantes quanto os originais, Snifts do Super Mario USA eventualmente dão as caras também, mas ao entrar no primeiro castelo é que nós conhecemos os novatos, como os Boos, fantasmas invencíveis que te atacam quando está de costas, Twhomps, pedras zangadas que caem do teto quando você cruza seu caminho, Dry Bones, que se levantam logo após serem pisados e só são destruídos com a Super Leaf, avançando as fases você encontrará caras como o Clubba, que atira bolas de ferro em você, os filhotes de Piranha Plant que agem como piso espinhento em certas fases, Buzzy Beetles diferentes, que levantam blocos do chão e arremessam em sua direção, Boom-Booms, que agem como os chefes nas novas Fortalezas, e por último, os mais icônicos do conjunto…

Os Koopalings: Super Mario Bros. 3 substitui os Castelos ao fim de cada mundo pelas infames Airship Fortresses, essas fases são todas em auto-scrolling e servem para testar a perseverança do jogador, são carregadas de canhões e lança-chamas além do fator de punição que faz essas fases serem infames, perder uma vida nessa fase faz a Airship Fortress mudar de lugar no overwold, significando que você tem que ir atrás dele toda hora, se você pulou uma fase e ela te impede de ir à embarcação, você será obrigado a jogá-la para chegar até lá. Mas o que torna essas fases distintas são os Koopalings, os sete herdeiros do Bowser (e dane-se as declarações do Miyamoto) estão no fim de cada fase e munidos de varinhas mágicas usadas para transformar o rei de cada mundo em animais, derrote-os com três pulos em suas cabeças e você avança para o próximo mundo. Cada Koopaling atira um projétil diferente de suas varinhas e suas proporções corporais também influenciam na batalha, agora, você consegue memorizar o nome e a ordem deles? Larry Koopa, Roy Koopa, Wendy O. Koopa, Lemmy Koopa, Iggy Koopa, Morton Koopa Jr. e Ludwig Von Koopa.

Itens e Power-ups Raros: Até o momento eu só citei a Super Leaf, mas Super Mario Bros. 3 entrega um suprimento bem extenso de power-ups para se usar nesse jogo, alguns deles só são usados no overwold, como a Music Box, que faz os inimigos do overwold dormirem durante duas fases, o Hammer que destrói rochas e desbloqueia rotas alternativas, a Cloud que te permite pular uma fase e, o mais raro de todos, o Magic Whistle, que te dá acesso à Warp Zone, só há dois no jogo inteiro e usando-os nos lugares certos, te permitem acessar o mundo 8 bem rapidamente. Esses itens são obtidos nas Toad Houses e Play Houses espalhadas nos overworlds, mas além destes é possível obter trajes para o Mario que lhe dão habilidades únicas, primeiro temos a Frog Suit, que melhora a velocidade de nado do Mario dentro da água além de aumentar a altura dos pulos, a memorável Tanooki Suit que te dá os mesmos poderes da Super Leaf e também a habilidade de se transformar em estátua e permitir que inimigos passem por você sem te causar dano, a P-Wing que te dá vôo infinito com a Super Leaf, e aquele que é disparado o melhor de todos, a Hammer Bro. Suit, que te dá todo o poder e toda a chatice de um Hammer Bro., você fica invulnerável ao se agachar e atira martelos que podem destruir qualquer inimigo do jogo, QUALQUER INIMIGO DO JOGO, o que inclui Boos e Twhomps na lista, é tão apelativo que é o segundo item mais raro do jogo, perdendo para a Magic Whistle, claro.

E a Princesa Peach? Não se preocupe, ela está de volta ao jogo, recompensando o seu progresso com itens entre os mundos, mas ao fim do sétimo mundo, ela é raptada mais uma vez por Bowser, cabe a você ir resgatá-la, o mundo 8 é o mais comprido de todo o jogo, cheio de telas, armadilhas, rotas labirínticas e, claro, fases difíceis, a maioria sendo tanques de guerra e flotillas que provam que Bowser está disposto a apagar Mario da existência, ao fim do caminho você encontrará o castelo do grande vilão, que agora suporta o design que você conhece hoje, ele te atacará com seu bafo flamejante e seu novo Ground Pound, faça-o bater 3 vezes no mesmo lugar e Bowser cairá mais uma vez, resgate a Peach e aprecie o merecido final dessa grandiosa aventura.

Veredito: Repetindo a afirmação do começo, Super Mario Bros. 3 é o Mario mais revolucionário de todos os tempos, ele ditou a maioria dos (se não, todos os) padrões seguidos por platformers 2D até hoje, a quantidade de novidades introduzidas por esse jogo é sem precedentes e é o Mario favorito de muitos jogadores, um jogo sólido, resistente ao tempo e que se mantém novo e fresco até hoje. O que superaria esse jogo? Somente a sua sequência, que viria a ser lançada no console seguinte, fiquem ligados para o final da maratona!

score95

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s