Antes e Agora: Super Smash Bros.

3 de outubro, hoje é o primeiro aniversário de Super Smash Bros. for Nintendo 3DS no ocidente, nada mais oportuno do que escrever um retrospecto da série cujos jogos eu analisei ano passado, mas vou me focar preferencialmente nas novas iterações.

Diferente das edições anteriores, estas foram as primeiras a receberem patches de balanceamento tal como DLCs dos mais sortidos tipos, roupas para Mii Fighter, estágios e, claro, personagens! Até o presente momento, tivemos 4 novos personagens, 6 novas fases e 4 levas de roupas para Mii Fighters. Os patches de balanceamento que, ao mesmo tempo em que são uma bênção aos ceus de quem queria ver seu personagem favorito se tornar mais viável, também são um problema por muitas vezes não corresponder à expectativa dos competidores, visto que depois de várias atualizações, o personagem Sheik continua sendo a principal ferramenta usada para ganhar campeonatos, entretanto a atualização mais recente (versão 1.1.1) talvez seja a que causou a mudança mais drástica no metagame, o aumento do shieldstun (tempo em que o escudo fica levantado após tomar um golpe) foi visto como muitos como um aumento considerável na ofensiva do jogo, onde anterior a esse update tinha nos escudos a opção mais segura de aproximação do jogo, porém nem tudo são maravilhas, assim como descobriram recentemente um glitch envolvendo o personagem Diddy Kong que o torna invulnerável a grabs, resultando em seu banimento temporário até que tal glitch seja corrigido pela Nintendo.

Sobre os personagens novos, eles adicionam uma variedade muito bem-vinda ao já imenso conjunto de personagens, mas ao mesmo tempo me desaponta um pouco que 3 dos 4 lutadores por DLC sejam personagens velhos. Mewtwo, o primeiro de todos e distribuido gratuitamente para quem comprou as duas versões do jogo antes do fechamento do Club Nintendo, retém muita da sua gameplay do Melee e atualmente não é considerado um personagem muito bom. Lucas veio em junho, acompanhado de mais dois que comentarei em breve, também retendo sua gameplay do Brawl assim como os aspectos que o diferenciam do Ness, entretanto o personagem sofreu um tremendo downgrade em poder de combate comparado ao jogo de 2008. Roy foi para muitos uma surpresa, o espadachim de Fire Emblem que entrou em Melee para fazer propaganda mas acabou se tornando um favorito dos fãs daquele jogo, que diferente de Mewtwo e Lucas, recebeu algumas alterações consideráveis para distanciá-lo mais do Marth e da Lucina, à parte de ter golpes baseados em fogo, ele possui smash attacks mais fortes e capazes de matar mais rápido, não parece, mas foi uma mudança sensível desde sua aparição em Melee.

Agora, para o último personagem DLC que merece seu próprio parágrafo para ser discutido, não só por ser o único dos 4 100% novo, mas também por ser um personagem complexo em sua essência, Ryu, o lendário lutador da série Street Fighter, entra para Smash Bros. causando espanto em ambas as fanbases. Aqui, Ryu é capaz de fazer tudo e mais um pouco do que ele fazia em Street Fighter por ser dono de uma mecânica única onde a força com que se aperta os botões determinam a força dos seus ataques, vide seu jogo original, que contava com variações de fraco e forte para seus ataques, o Ryu também traz seus Hadoken, Shoryuken, Tatsumaki Senpuukyaku, Shakunetsu Hadoken e Focus Attack como seus especiais, porém com o adicional de você poder usar os comandos originais de Street Fighter para usá-los e ainda ganhar um aumento de poder ao usar esses golpes por estes comandos. Ainda dentro dessa mecânica única, Ryu é o único personagem da história de Smash Bros. com dois Final Smashes, usar longe do inimigo fará ele soltar o Shinku Hadoken, perto do inimigo ele soltará o Shin Shoryuken, com direito ao efeito de tela do Street Fighter 4 para quando o golpe fizer um KO.

Os estágios lançados até o momento consistem de 3 fases novas e 4 fases antigas, sendo elas: Miiverse, Dream Land 64, Peach’s Castle 64, Hyrule Castle 64, Suzaku Castle (obtida junto com o Ryu), Super Mario Maker e Pirate Ship do Brawl (exclusiva para Wii U). Com exceção de Miiverse e Pirate Ship, todas as demais funcionam no modo 8-Player Smash e todas possuem uma Omega Form também, alguns não gostam de as fases do N64 não serem remakes e sim ports, mas elas ficaram perfeitas no jogo mesmo com um tratamento em HD sutil, todas elas custam menos de 2 dólares (exceto a Miiverse, que é gratuita) e podem ser compradas separadamente ou em bundles na Nintendo eShop.

Roupas de Mii Fighters são atraentes para poucos, mas estão fazendo um bom trabalho em assustar os fãs do jogo devido a maioria ser de personagens que as pessoas queriam como jogáveis. Alguns veem como uma desconfirmação instantânea, outros ainda preferem acreditar… À propósito, hoje se encerra as votações para o Fighter Ballot aberto no dia 2 de abril, já votou no seu personagem favorito?

As novas iterações de Smash Bros. apenas completaram um ano, elas seguramente serão jogadas pelos jogadores ainda por muitos anos, enquanto o time de Masahiro Sakurai se manter empenhado em prover o jogo com atualizações, continuaremos jogando e aguardando ansiosamente por mais novidades.

Anúncios

2 pensamentos sobre “Antes e Agora: Super Smash Bros.

  1. Excelente artigo, só decepcionou bastante por usar no blog o sistema de datas ZOADO estadunidense.
    Mas enfim, espero que isso seja culpa do wordpress, hahaha
    Grande abraço e tomara que o Wonder Red entre na briga!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s