Super FOG vs. Super Paper Mario


Introdução: O fim da Maratona Paper Mario finalmente está aqui. Super Paper Mario foi originalmente anunciado para GameCube em junho de 2006, um período já tardio da vida do console que seria substituído pelo Wii 4 meses e meio depois, não à toa, o jogo foi silenciosamente adiado e transferido para o novo console, sendo lançado somente em abril de 2007 como algo que viria a suprimir parte da espera por Super Mario Galaxy. Como eu disse no começo da maratona, Super Paper Mario foi como eu sempre imaginei Paper Mario desde o momento que eu conheci a série, mas comparado com os antecessores, especialmente TTYD, se tornou agora um jogo onde eu senti falta de algumas coisas.

A História: Embora fuja do tradicional em termos de gameplay, Super Paper Mario ainda possui uma característica marcante da série, que é a habilidade de contar histórias fantásticas e divertidíssimas, e dessa vez temos uma pegada, digamos, mais dark do que o normal, porque a temática da vez é a de fim do mundo! Fique avisado desde já sobre os spoilers e vamos em frente.

O conto da vez aborda um antigo livro de profecias, cheio de eventos do futuro, que se tornou muito cobiçado por pessoas interessadas em saber seus futuros, entretanto todas as pessoas que puseram as mãos neste livro com esse objetivo nunca encontraram felicidade em seus futuros e sofreram muito, o livro começou a ser chamado de Dark Prognosticus pelos anciões, a história do jogo revolve entre o último dono deste livro. Na cena seguinte, temos uma visão de nos causar reações aleatórias, Peach em um altar prestes a se casar com Bowser! Tendo como atendentes todo o exército do rei Koopa e sendo celebrado por um estranho ser vestindo uma cartola e capa brancos e usando monóculo. Peach, que realisticamente não tem idéia do que está acontecendo, é saudada por Count Bleck, o organizador de toda essa trama, enquanto Bowser está todo feliz e acreditando estar em um sonho ou coisa do tipo. O sinistro Count Bleck dá continuidade a cerimônia e pergunta se Bowser “deseja tomar a mão da princesa Peach como sua fiel esposa ‘até que seus jogos se acabem'”, que ele responde com um convicto Sim. Peach é perguntada pela mesma coisa e obviamente responde que não. Por causa da teimosia em não dar a resposta que todos querem ouvir, Count Bleck chama sua assistente Nastasia, para que ela use seus poderes hipnóticos em Peach e extraia um sim da princesa, apesar de lutar com todas as suas forças, Peach é forçada a aceitar o laço matrimonial. Porém, em vez de se ouvirem badaladas de sinos, uma estranha irradiação de energia começa a se formar entre o casal, emergindo dele o Chaos Heart, formado da união entre “um furioso e monstruoso rei” e “uma justa e adoravel princesa”. Com o Chaos Heart em mãos, Count Bleck se prepara para despachar os “recém-casados” até que Luigi surge da multidão de soldados do Bowser e intervém, acertando um pulo no estranho coração sombrio e fazendo-o se descontrolar. Termina a primeira cutscene do jogo.
Iniciando um novo jogo, vemos pela terceira vez uma introdução familiar, Mario e Luigi em sua casa, jogando uma conversa fora sobre como está tudo tão parado ultimamente, até que Luigi dá a idéia de irem visitar Peach em seu castelo, mas pouco depois de sair de casa, um Toad aparece em pânico, falando que o castelo foi atacado e que Peach desapareceu. Sem pensarem duas vezes, os irmãos vão para o único culpado possível, Bowser, que curiosamente estava reunido com seu exército tramando o seu novo plano para raptar a princesa, Mario e Luigi chegam, e demandam que ele liberte a princesa, Bowser age como se não soubesse de nada, porque ele ainda não tinha feito seu movimento, até que se houve o grito da princesa Peach que aparece suspensa no ar presa em uma grade de luz, o responsável pelo rapto dessa vez é Count Bleck, Mario instintivamente tenta lutar contra o estranho inimigo mas é nocauteado em um só golpe e fica inconsciente no chão, depois Count Bleck anuncia que está lá para levar o Bowser também. É nesse momento que percebemos que essa abertura se passa antes da cena que assistimos ao ligar o jogo, Count Bleck abre um imenso portal que abduz Bowser, todo o seu exército e Luigi para a sua dimensão, e logo depois vai embora da cena e deixa Mario caído, sem ter visto nada que aconteceu. Um tempo depois ele é acordado por uma pequenina borboleta brilhante que se apresenta como Tippi, ela diz conhecer o vilão e sabe o que ele pretende fazer com seus amigos, Tippi então leva Mario para Flipside. Agora o jogo começa.
Chegando à misteriosa cidade que fica entre as dimensões, Mario conhece o ancião Merlon, que lhe explica quem é Count Bleck, o que é o Chaos Heart e o que o sinistro conde quer com isso, Tippi explica que Bleck invocou o Chaos Heart à esse mundo ao forjar o matrimônio entre Peach e Bowser, Merlon aponta para cima e mostra ao Mario um pequeno buraco negro se formando no céu, ele diz que aquele buraco em algum momento irá crescer até ficar grande o suficiente para engolir toda a cidade, e que o mesmo buraco negro apareceu em outras dimensões, Merlon também falou sobre o Dark Prognosticus como o percursor de toda a trama de Bleck e que Mario é o herói da profecia da luz que deve impedir o prognóstico das trevas de se concretizar, para isso ele deve usar o poder dos oito Pure Hearts para enfrentar e derrotar o hospedeiro do Chaos Heart, somente a morte de quem o invocou irá destruí-lo e consequentemente fechar os buracos negros. O primeiro Pure Heart é entregue ao Mario pelo próprio Merlon, ele deve levar esses corações brilhantes até os Heart Pillars para assim abrir portas que levam a dimensões onde o próximo Pure Heart está localizado.
Assim como nos Paper Mario anteriores, há sempre uma intermissão entre cada capítulo no covil dos vilões principais. Após entrar na porta para o primeiro mundo, somos apresentados aos fiéis capangas de Count Bleck, a sua braço direito Nastasia que usa seus poderes hipnóticos para fazer lavagem cerebral nos soldados de Bowser e torná-los leais ao novo vilão, o brutamontes de barba O’ Chunks, a transformista Mimi e o bruxo dimensional Dimentio. Logo que Count Bleck descobre que há um herói enviado para impedir seus planos, ele despacha seus capangas em diferentes dimensões para detê-lo. Mario encontra O’ Chunks no primeiro mundo e o derruba com facilidade, e depois encontra Dimentio quando está prestes a obter o segundo Pure Heart, fazendo o dragão robótico Fracktail se descontrolar.
Depois de obter o Pure Heart seguinte, uma nova intermissão mostra Peach sendo acordada por alguns Koopa Troopas que estão fugindo da Nastasia e dos colegas convertidos à força por ela, Peach tenta ajudar os dois soldados a fugir mas ambos acabam encurralados e hipnotizados, Peach ameaça a se jogar em um precipício até que uma estranha força a teletransporta para fora do castelo.
Logo após essa cutscene, temos um diálogo envolvendo dois personagens misteriosos chamados Blumiere e Timpani, estes dois se envolvem em um relacionamento amoroso proibido. Diferente dos outros jogos onde você controlava personagens e realizava diferentes missões, as intermissões desse jogo se focam nesses trechos descrevendo o relacionamento desse misterioso casal, e como ele deu origem aos eventos do jogo.
De volta a Flipside, Mario descobre através de Merlon que uma pessoa caiu dos céus, essa pessoa era ninguém menos que Peach que estava inconsciente e morrendo de frio. Após ser acordada e aquecida, Mario e Merlon explicam a Peach tudo que está acontecendo e ela se junta ao Mario em sua busca. Ao obterem o terceiro Pure Heart, Mario e Peach descobrem através de Merlee, outra anciã do clã de Merlon, que será necessária a força de quatro heróis para deter a realização do Dark Prognosticus. Durante a busca pelo quarto Pure Heart, Mario e Peach encontram Bowser em um castelo abandonado e após descobrir que seu casamento era uma armação do vilão principal e que seus soldados estão sofrendo lavagem cerebral, ele decide se juntar ao seu arquiinimigo. Depois de salvarem a Tippi de um réptil obcecado por borboletas coloridas, o quarto Pure Heart aparece diante dos heróis de uma forma inexplicável.
A busca pelos Pure Hearts continua, até que em determinado momento Mario se vê obrigado a enfrentar um misterioso inimigo chamado Mr. L, que pilota um mecha chamado Brobot e te leva para um combate espacial, após derrotado e com mais um coração obtido temos mais uma intermissão mostrando Bleck e Nastasia conversando, onde Nastasia menciona que toda a lealdade que ela tem por Bleck vem desde o dia que ele a salvou, mas ela também cita “uma garota” do passado e questiona que se ela estivesse viva as coisas seriam diferentes, Bleck, de cabeça baixa, apenas diz que tudo que aconteceu no passado não tem mais volta, por isso prossegue com seu plano de destruir todos os mundos.
Enquanto isso em Flipside, Tippi desmaia e Merlon, urgindo para salvá-la, conta ao Mario e seus amigos que Tippi nem sempre foi uma fada, Merlon a encontrou sem consciência e prestes a morrer em uma dimensão bizarra, e para salvá-la acabou por transformá-la em uma fada.
A história começa a pegar fogo a partir do sexto mundo, que tem um buraco negro muito maior que Flipside e está em estado de alerta.  Naquele mundo, Mario e seus amigos acabam encontrando Count Bleck que veio para assistir à destruição daquele mundo, Tippi toma a frente e pergunta ao conde o porquê de tanta maldade, Bleck responde que quer acabar com toda a existência de um mundo que não lhe interessa, Tippi retruca mencionando coisas como a vida e o coração, até que Bleck, sem paciência, explica que tudo para ele é sem valor, incluindo o coração, que a última coisa para ele que teve valor era Timpani! Depois de pronunciar esse nome extremamente familiar, Bleck vai embora e Tippi ficou perplexada ao escutar aquele nome.
Após serem atrasadas por Mimi, Mario testemunha o buraco negro devastando aquele mundo e sem ter para onde correr… Tudo ficou escuro por um momento, e Mario acordou de volta a Flipside, a porta para o sexto mundo ainda estava lá, o que significa que ainda tem um Pure Heart do outro lado, quando eles cruzam o portal, aquele mundo cheio de castelos feudais e bravos guerreiros é reduzido à uma folha de papel em branco com apenas uma linha servindo de chão, após cruzarem aquela imensidão de nada eles encontram o Pure Heart severamente enfraquecido, mas acabam tendo que lutar mais uma vez contra Mr. L e o seu reformado Brobot L-Type. Depois de derrotado, Mr. L começa a se questionar por que ele não consegue derrotar aqueles caras e por que eles eram tão familiares, nisso surge Dimentio dizendo a Mr. L que ele era fraco e inútil. Disposto à por um fim aos questionamentos de Mr. L, Dimentio o ataca com magia explosiva e o destrói.
Mario e seus amigos mostram o Pure Heart petrificado para Merlon, mas antes que ele pudesse buscar uma solução para restaurá-lo, Dimentio aparece diante deles e, visivelmente não satisfeito em dar cabo só do Mr. L, ataca Mario e seus amigos com a mesma magia explosiva, Tippi e Merlon olham perplexos para tamanha frieza e Dimentio vai embora dizendo que apenas realizou o desejo de mandá-los para o próximo mundo.
Mario acorda em um lugar escuro e assombrado até que um espírito fantasma diz que ele está morto e está no Underwhere, o submundo desse jogo. Apesar de clamar estar vivo, Mario é orientado a falar com Queen Jaydes, a soberana do Underwhere, chegando à ela Mario mostra o Pure Heart enfraquecido como prova de vida. Em troca de devolvê-lo ao mundo dos vivos Mario deve fazer dois favores, primeiro, encontrar sua filha desaparecida, segundo, investigar um estranho sujeito que, assim como Mario, caiu do céu e também diz estar vivo. Nisso, Mario se reencontra com Luigi cuja última lembrança era ter sido atacado por Nastasia e sem saber como ele foi parar no submundo, Luigi se junta ao Mario e juntos eles procuram pela teimosa Luvbi, a filha da Queen Jaydes. Depois de cumprir o combinado, Jaydes devolve um Pure Heart restaurado para os irmãos além de transportá-los de volta para o mundo dos vivos, onde rapidamente se encontram com Tippi e abrem a porta para o sétimo mundo. Na ânsia de querer encontrar o último Pure Heart, Tippi acaba falando que ainda há tempo de parar Blumiere, ela pausa sua fala e se pergunta de onde esse nome surgiu em sua cabeça.
Enquanto isso, Bleck também começa a sofrer com lapsos de memória e começa a desconfiar sobre a identidade de Tippi, mas relutante em acreditar ele segue com o seu plano. A penúltima intermissão narra Blumiere discutindo com seu pai sobre o que ele fez com Timpani, e fica chocado ao saber que seu pai fez ela desaparecer dizendo que humanos nunca devem se misturar com a tribo da escuridão.
A busca pelo último Pure Heart é marcada pelo retorno ao Underwhere em busca de Bowser e Peach, além da nova missão de Queen Jaydes de escoltar sua filha Luvbi para o Overthere, que seria o céu, além de procurar um mosntro fugitivo do submundo. Após refazer o grupo e finalmente termos os quatro heróis juntos, Mario enfrenta uma fera chamada Bonechill, e descobre através dele que Luvbi é na verdade um Pure Heart transformado em anjo. Com o monstro destruído, Luvbi demanda explicações e Jaydes junto com seu pai Grambi acabam expondo a verdade. Incapaz de perdoar seus pais por ter sido tratada com tanta rispidez, Luvbi retorna a sua forma de Pure Heart, Mario o recebe de Grambi com a promessa de usá-lo para salvar o mundo.
Chegou a hora, finalmente os quatro heróis da profecia estão prontos para enfrentar o Dark Prognosticus, a porta para o Chaos Heart aparece, todos os seguidores de Bleck se põem a postos, enquanto Nastasia, ciente dos acontecimentos recentes, tenta convencê-lo a parar, chamando-o de Lord Blumiere! Bleck reluta, dizendo que ele já foi longe de mais e que não terá mais volta. Uma última intermissão narra como Blumiere se tornou o temido conde e se rebelou até mesmo contra seu próprio pai. Tippi acorda de um pesadelo, e com isso acaba recuperando todas as suas memórias, ela era Timpani, e sabia que o inimigo era o seu amado Blumiere. Todos os eventos do jogo foram causados tendo um romance proibído como estopim, só que a história só acaba quando Bleck for derrotado.
Durante a jornada pelo castelo, Mario e companhia acabam encontrando os capangas do conde e entrando em lutas onde só um se envolvia, Bowser lutou contra O’ Chunks por uma questão de orgulho, porém ambos trabalharam juntos para salvar o restante do bando de serem esmagados pelo teto. No fim, um ficou insistindo para o outro soltar, porque nenhum dos dois estavam aguentando, o teto acabou esmagando os dois. A seguir, Peach enfrentou Mimi, que no final tentou salvá-la de uma das suas próprias armadilhas, mas ambas caíram no precipício.
Sobrou apenas o Dimentio, mas diferente dos demais, ele pediu para que Mario, Luigi e Tippi se juntassem a ele para lutarem juntos contra Count Bleck. Nesse momento, Dimentio expõe a sua traição que ele esteve tramando ao longo de toda a aventura, ele revela que foi ele quem transportou Peach e Bowser para fora do castelo, que salvou os heróis da destruição do sexto mundo, que enviou Luigi e os outros três para o Underwhere para que se reencontrassem e também consertar o Pure Heart enfraquecido. Quando Tippi pergunta o porquê da traição, Dimentio revela que Count Bleck quer apenas destruir os mundos e acabar com a existência, enquanto ele quer reconstruir todos os mundos à sua imagem. Por fim, Dimentio provoca Luigi e os dois lutam na dimensão especial dele, Luigi vence e Dimentio o parabeniza, fechando os dois em um campo de magia explosivo e cometendo suicídio, levando Luigi junto com ele.
Mario, agora sozinho, parte para a sala de Count Bleck. Pela terceira e última vez, os dois se encontram dispostos a lutar até que sobre apenas um. Bleck, invencível por causa dos poderes do Chaos Heart se prepara para acabar com Mario, até que de repente Peach, Bowser e Luigi reaparecem vivos e começam a encorajar Mario. Nesse momento, os oito Pure Hearts aparecem e derrubam as defesas de Count Bleck, a luta recomeça dessa vez com o time completo, Mario sai vitorioso dessa vez. Nastasia aparece para socorrer um Bleck derrotado, e Tippi, chamando-o de Blumiere, exige saber por que ele fez todas essas coisas.
Depois que Timpani desapareceu, Blumiere a procurou em todos os lugares que podia procurar. Sem sucesso, Blumiere perdeu a cabeça e acabou recorrendo ao Dark Prognosticus para se vingar do mundo que lhe tirou a Timpani. Mas agora que finalmente a reencontrou, começou a se arrepender de todas as maldades que fez, de todo o estrago que causou, e implora ao Mario que acabe com ele de uma vez, assim o Chaos Heart desaparecerá, o Dark Prognostiucus falhará e tudo voltará ao normal.
Mas ainda não acabou! Nastasia pressentiu o perigo e se jogou na frente de Blumiere, protegendo-o de um disparo atirado por Dimentio, que fingiu ter se matado para surpreendê-lo em um momento de fraqueza depos do uso dos Pure Hearts. Dimentio diz que mesmo se o conde morrer, ele continuará a controlar o Chaos Heart com a ajuda do “homem de verde” mencionado no prognóstico descrito como o hospedeiro ideal para o Chaos Heart. Dimentio aciona uma planta mágica na cabeça de Luigi, que ele diz ter plantado-a em seu subconsciente durante a sua luta, em seguida Dimentio abre uma vórtice que ele usa para se fundir com o Chaos Heart e Luigi em uma criatura gigante chamada Super Dimentio. Uma nova luta começa.
Protegido pelo poder do Chaos Heart, Super Dimentio inicia a destruição de todos os mundos. Blumiere, Timpani e Nastasia não conseguem fazer mais nada a não ser assistir, até que de repente aparecem O’ Chunks e Mimi, que também sobreviveram, enchendo o coração de Blumiere de alegria, com isso Timpani tem a idéia de perguntar se Blumiere ainda tem todos os sentimentos por ela do passado, os sentimentos de amor e alegria restauram o poder dos Pure Hearts e Timpani os leva para Mario, que se torna capaz de enfrentar o novo e colossal inimigo.
Mario consegue vencer Super Dimentio e libertar o Luigi, mas antes de morrer Dimentio deixa uma aura maligna para trás para que o Chaos Heart continue existindo por tempo o suficiente para destruir tudo. Blumiere então abre a porta para o salão secreto do seu castelo, o mesmo salão onde ele forjou o casamento entre Peach e Bowser. Blumiere e Timpani se puseram entre o Chaos Heart e começaram a trocar declarações de amor, eles mencionam a antiga promessa de Blumiere de levar Timpani para um lugar que aceite o amor deles. Todas essas sensações positivas combinadas com o poder dos Pure Hearts conseguem neutralizar em definitivo o Chaos Heart e salvar os mundos da destruição. Blumiere e Timpani desapareceram. Depois do ocorrido, era possível ouvir sinos, que estavam tocando para celebrar a felicidade do casal, tal como em um casamento.
Mario e seus amigos, junto de Nastasia, Mimi e O’ Chunks voltam para Flipside, Merlon parabeniza os heróis por conseguirem reverter o Dark Prognosticus e salvar o mundo, ele pergunta sobre Tippi para a Peach e ela responde que ela finalmente reencontrou o amor de sua vida. Os ex-seguidores de Bleck, melhor, Blumiere se manteram juntos e prometeram que vão ajudar a construir o mundo ideal com o qual ele e Timpani sempre sonharam. Os heróis celebram a vitória mais uma vez e a história acaba com um final feliz. Após os créditos, é possível ver uma Timpani de volta a forma humana abraçada com o seu querido Blumiere, desfrutando a felicidade.

Uau! Acho que eu me empolguei um pouco descrevendo a história desse jogo, mas eu tentei ilustrar o porquê dessa história ser tão boa e ela possuir uma pegada que nunca mais vimos em jogos posteriores do Mario criados para contar histórias. A trama não é necessariamente complexa e não possui nenhuma divisão ou coisa do tipo, ela surpreende com uns belos plot twists mas consegue se manter de fácil compreensão. Ainda assim eu considero essa história no mesmo nível da de TTYD, não é melhor e nem pior, levando em conta que eu dei uma nota perfeita para o anterior isso é uma coisa ótima. Agora vamos abordar a gameplay.

O jogo em si: Paper Mario sempre foi um RPG com elementos de plataforma, o que Super Paper Mario faz à grosso modo é inverter a prioridade desses gêneros, agora temos um plataforma com elementos de RPG. Isso é uma coisa ruim? Sim e não, você verá o porquê nas próximas linhas.
O jogo é jogado na perspectiva em 2D a maior parte do tempo (assim como ele é jogado com o Wiimote na horizontal) , a principal novidade de gameplay aqui está na habilidade única do Mario em girar entre as dimensões 2D e 3D, com essa mecânica Mario pode descobrir segredos invisíveis em 2D, como passagens secretas, blocos invisíveis, pessoas que só podem ser vistas em 3D, a perspectiva em 3D fica semelhante ao interior de um ônibus e em muitas partes essa habilidade é crucial para passar por certos segmentos do jogo. E como o 3D pode muitas vezes facilitar o progresso onde ele não é necessário, há uma barra que limita a sua permanência nesse modo, se ela se esvaziar Mario perderá 1HP, entretanto, mesmo com esse dano mínimo, a barra se restaura imediatamente, uma limitação mais apropriada seria devolvê-lo para o 2D e impedir que ele voltasse até a barra se restaurar completamente.
Além da habilidade de girar ente o 2D e o 3D, o jogo também explora os…

Personagens: Dessa vez, Mario vai se aventurar na companhia de Peach, Bowser e Luigi, cada um com suas próprias habilidades para serem usadas em diferentes situações. Peach pode planar com seu guarda-sol para passar por cima de largos abismos e se proteger com ele ao apertar para baixo, Bowser cospe fogo além de ter o ataque mais forte, Por último Luigi pode dar um super salto e alcancar lugares mais altos. Apesar da muito bem-vinda variedade, somente Mario pode viajar entre o 2D e o 3D, e como a maioria do level design é focado nisso, Mario será o persoagem mais usado em quase 80% do tempo. Claro, não são só de 3D e personagens extras que vivem essa aventura, outra grande novidade são os…

Pixls: Substituindo os parceiros das duas aventuras passadas, os Pixls são fadas, da mesma espécie da Tippi, que permitem Mario e cia. de executarem ações básicas.
Tippi: Aponte o Wiimote para a tela para usar sua habilidade de descrever os inimigos ao seu redor e revelar elementos secretos, tais como portas, plataformas e tesouros;
Thoreau: Uma mão retrátil usada para agarrar e lançar objetos, também pode ser usada para acionar switches à longa distância;
Boomer: Um explosivo para abrir buracos em paredes rachadas e atacar inimigos com muita defesa;
Slim: Faz você ficar fino e invisível;
Thudley: Habilidade de executar ground pound;
Carrie: Te carrega por cima de espinhos, além de te proteger contra inimigos com defesas espinhentas;
Fleep: Consegue descobrir segredos que Tippi normalmente não consegue
Cudge: Habilidade de usar o martelo;
Ainda há mais três pixls secretos opcionais para você descobrir, eu só mencionei os fundamentais para a aventura. Ao mesmo tempo que pixls são uma interessante mecânica que casam muito bem para um jogo centrado em platforming, ter que depender deles para executarmos habilidades que podiamos ter ao mesmo tempo nos jogos anteriores soa frustrante, mesmo sabendo que só são usados três botões do Wiimote na horizontal, eu consigo ver duas ou três habilidades que podiam estar incorporadas no moveset dos personagens.

Elementos de RPG: Como mencionado antes, o jogo se joga a maior parte do tempo como um Mario 2D, nós temos power-ups, nada de batalhas por turnos, a divisão por capítulos segue o padrão de Super Mario Bros, ou seja, 4 fases por mundo e 8 mundos no total, com os capítulos sempre enumerados como 1-1, 1-2, 1-3, 1-4 e assim por diante. O que o jogo tem que ainda nos faz lembrar que isso é um Paper Mario? Os inimigos ainda têm um HP máximo e derrotá-los requer zerar esse HP, alguns também requerem estratégias diferentes em razão dos seus valores de defesa, os personagens ainda sobem de nível conforme vão aumentando seu score, a cada nível subido você ganha mais HP e mais poder de ataque, mesmo com power-ups em estilo Mario clássico ainda há o uso de itens especiais de cura, de defesa e para atacar inimigos, itens esses que também buscam variar os usos do Wiimote. Por fim, você ainda joga uma aventura baseada em uma história, dialoga com dezenas de personagens diferentes e há um monte de exploração envolvida. O problema mais sério que temos com isso é a falta de desafio, os inimigos embora fiquem mais dificeis em momentos mais posteriores na aventura acabam sendo de uma forma geral bem faceis devido à não-existência de batalhas por turno, o que também compromete um pouco da diversão também. Sendo os chefes o maior destaque desse jogo, mas ainda assim aquém do desafio esperado.

Power-ups: Sendo jogado como um Mario 2D, é óbvio e quase religioso que hajam power-ups para se usar na hora, contudo, aqui eles funcionam seguindo o contexto de Paper Mario. O clássico Mushroom vem nas variações vermelha, azul e verde, e servem para recuperar 10, 20 e 50 pontos de HP respectivamente. A Speed Flower acelera o tempo e a Slow Flower diminui o tempo, durante o uso de ambas, cada inimigo derrotado renderá o triplo de pontos e moedas. A Happy Flower fará moedas cairem do céu por um curto período de tempo. Os Pal Pills farão pequenas miniaturas pixeladas de você te seguirem e te protegerem por alguns hits. Por último, temos o power up mais divertido de todos, a Mega Star, que não somente te faz invencível como te transforma em um gigante pixelado em 8 bits capaz de destruir inimigos, blocos e canos instantaneamente, é também o power-up mais raro do jogo, só aparecendo em sete momentos.

Cards: Substituem as badges e o tattle log ao mesmo tempo, obter o card de um inimigo aumenta o seu poder de ataque nesse inimigo em questão, também há cards colecionáveis de personagens não-jogáveis e chefes, estão todas espalhadas pelas fases e por Flipside também. Caso você não encontre a do inimigo em específico que você quer, você pode usar os itens Catch Card e Catch Card SP para transformar inimigos previamente enfraquecidos em cards.

Dinâmica de Papel: Super Paper Mario tem tanta dinâmica de papel quanto qualquer outro jogo da série, os produtores exploraram bem a natureza 2D do jogo e criaram efeitos bem bonitos como a do mundo se desenhando a nossa volta toda vez que entramos em um novo mundo, a forma como alguns segredos ainda se escondem atrás de folhas de papel, animações que lembram quebra-cabeças, efeitos de papel rasgando, alguns monstros feitos de papercraft, é um jogo que mesmo tendo sido moldado para GameCube faz bom uso dos recursos do Wii e nos entrega os mesmos visuais inspirados.

Gráficos e som: O jogo é bem parecido visualmente com o antecessor, a ênfase no 2D permitiu que acentuassem mais as cores e as texturas, às vezes chega a se sentir que você está em um desenho animado interativo. De forma geral é um jogo bem bonito, mesmo passando longe do que o Wii nos provaria ser capaz de mostrar no futuro.
No departamento sonoro, temos faixas bem divertidas compostas sob medida para cada um dos oito mundos, em algumas das músicas podemos ver o uso de chiptunes, melodias baseadas em clássicos do Mario, além de, claro, músicas completamente novas. Na minha opinião ainda acho que faltou pouco para ser melhor que a trilha sonora de TTYD, mas ainda é muito boa.

Veredito: Algumas pessoas podem julgar mal e classificar Super Paper Mario como o começo do fim da série, mas não se engane! Apesar da inversão de prioridades do seu gênero, Super Paper Mario é um jogo muito divertido, instigante, diferente, possui uma história fenomenal e acima de tudo, ainda se joga como um Paper Mario! Não teve nenhum momento em que eu olhei torto para esse jogo falando “isso não é Paper Mario”, mas é sim. Você ainda tem todos os elementos-chave que fizeram os dois jogos anteriores serem sucessos e projetarem a série para frente. Assim como eu garanto que uma sequência desse jogo seria muito melhor recebida que os seus questionáveis sucessores.

score85

Anúncios

3 pensamentos sobre “Super FOG vs. Super Paper Mario

  1. Pingback: Maratona Paper Mario | Super FOG vs.

  2. Super Paper Mario é um bom jogo, curto as mecânicas dele e a história, mas se comparado com os dois anteriores, é fraco. A coisa que mais me decepciona nele é o character design. A direção de arte eu até curto, é bem única e estilosa em certos pontos, como na Bitlands e no Underwhere, mas o design dos personagens é muito porco, parece um monte de quadrados juntados a esmo, sem nenhuma característica marcante, além da maioria dos personagens não terem carisma nenhum, especialmente por causa disso. Acho que o único que eu curto mesmo o design é o Count Bleck, fora ele é tudo dispensável. Outra coisa que é bem inferior é a trilha sonora. Se tem 6 ou 7 músicas memoráveis é muito.

    • Vamos concordar que esses personagens quadradões do SPM são muito muito melhores do que o mar de Toads que tacariam na gente depois. Ao menos eles têm design e personalidade sortidas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s