Super FOG vs. Super Mario Maker

Introdução: Este é um review bem atrasado, quem se lembra que há um tempo atrás eu fiz uma maratona de reviews de jogos clássicos do Mario em celebração do seu 30º aniversário também se lembra que eu tinha prometido um review desse jogo logo em seguida. Mas como eu já expliquei antes, eu não faço review de jogos que eu não tenho, raciocínio simples, não vou avaliar algo me baseando em coisas do tipo vídeos do YouTube. Agora chega de mimimi e vamos para a análise.

Mario convive conosco há 30 anos (31 no mês que vem), nascido em uma época em que tudo era trevas para o consumidor de consoles, ele fez o seu caminho através de canos, cogumelos e inúmeras plataformas até se tornar um dos personagens mais populares do mundo. Só que para o trigésimo aniversário, a Nintendo decidiu que os jogadores iriam desenvolver a próxima aventura de Mario através de Super Mario Maker, um jogo apresentado de forma tímida e superficial na E3 2014 com uma premissa simplória e sem apelo nenhum. Com o passar do tempo, mais e mais do jogo foi sendo mostrado, como as possibilidades e opções adicionadas desde aquela demonstração, e na Nintendo World Championships 2015 a versão e o nome finais apareceram para demonstrar seu máximo potencial, tanto que posteriormente a Nintendo deu atenção máxima à esse título entre o lançamento de Splatoon e Xenoblade Chronicles X. Continuar a ler

Super FOG vs. Wii

Introdução: Neste último dia 11 de julho, passou-se um ano do falecimento de Satoru Iwata, mas de alguma forma ainda parece que foi ontem! A indústria dos jogos parou para prestar homenagens e condolências a um dos homens mais fantásticos que esse mercado já viu e uma das figuras mais carismáticas da Nintendo. Eu já fiz uma postagem no dia me despedindo dele e joguei EarthBound para homenageá-lo, agora eu irei falar daquilo que elevou o nome do Iwata às alturas.
O nome “Wii” é uma mutação da palavra We, que significa Nós em inglês, nome dado para que a pronuncia seja agradável independente do idioma e do sotaque. É o nome dado ao console de mesa de maior sucesso da Nintendo desde o NES, um console concebido para revolucionar a forma de se jogar videogame, proposta claramente ilustrada pelo seu codinome Revolution, mas isso ia muito além de mudar o formato do controle, isso também significava abraçar uma nova audiência nunca antes explorada, boa parte do design do Wii girava em torno de uma estratégia de negócios conhecida como Blue Ocean, as consequências de tal estratégia vocês descobrirão nos próximos parágrafos. Continuar a ler

Super FOG vs. Super Paper Mario


Introdução: O fim da Maratona Paper Mario finalmente está aqui. Super Paper Mario foi originalmente anunciado para GameCube em junho de 2006, um período já tardio da vida do console que seria substituído pelo Wii 4 meses e meio depois, não à toa, o jogo foi silenciosamente adiado e transferido para o novo console, sendo lançado somente em abril de 2007 como algo que viria a suprimir parte da espera por Super Mario Galaxy. Como eu disse no começo da maratona, Super Paper Mario foi como eu sempre imaginei Paper Mario desde o momento que eu conheci a série, mas comparado com os antecessores, especialmente TTYD, se tornou agora um jogo onde eu senti falta de algumas coisas. Continuar a ler

Super FOG vs. Paper Mario: The Thousand-Year Door

Introdução: Se um dia eu tiver que procurar por um exemplo de algo que evoluiu do razoável para o perfeito, o jogo da análise a seguir será a primeira coisa que me virá à mente. Paper Mario: The Thousand-Year Door é uma evolução massiva de todos os conceitos aos quais fomos apresentados no jogo de Nintendo 64, mas também é algo a mais, é aquilo que fundou os princípios de Paper Mario dos quais muitos fãs, como eu, achamos que nunca deveriam ter sido largados nas sequências que viriam, então venham comigo enquanto eu lhes digo o que faz desse jogo uma obra tão fantástica. Continuar a ler

Super FOG vs. Paper Mario

Introdução: Paper Mario foi um dos últimos jogos da Nintendo lançados para o Nintendo 64 e o Mario de aventura mais recente desde Super Mario 64, concebido incialmente como Super Mario RPG 2, Paper Mario é um produto do estúdio secundário Intelligent Systems, responsável por Fire Emblem e Advance Wars na época, e pensado com jogadores novatos em mente. Em suma Paper Mario leva esse nome devido ao seu estilo gráfico que lembra recortes e dobraduras de papel, o que também implica em algumas influências mínimas na gameplay.
Sendo este um jogo de RPG, haverá algum foco na história, por isso eu quero deixar avisado desde já que eu irei falar abertamente da história neste e nos próximos reviews em ordem de formar uma opinião sólida, portanto estejam avisados de spoilers. Continuar a ler

Super FOG vs. Splatoon

Introdução: Splatoon é a incursão da Nintendo no mundo dos shooters, porém, claro, ao estilo Nintendo de ser. Nada de ambientes cinzentos de guerra, nada de soldados fardados até os cabelos, nada de armas e balas realísticas, no lugar de tudo isso nós temos seres meio-humanos e meio-lulas conhecidos como inklings, uma temática sub-aquática e batalhas resolvidas na tinta! O conceito pode parecer tolo, mas atualmente, Splatoon é a franquia de maior sucesso da Nintendo dentre as novas IPs criadas nesta geração, atualmente com pouco mais de 2 milhões de cópias vendidas em todo mundo e recebendo um suporte contínuo de sua equipe de desenvolvimento… que infelizmente terminou esse mês, mas proveu uma quantidade tremenda de conteúdo gratuito para os jogadores. E é em razão disso que este review está sendo escrito. Continuar a ler

Super FOG vs. EarthBound

Introdução: Antes de mais nada, eu queria ter escrito um review para esse jogo ainda no tempo em que lamentávamos o falecimento de Satoru Iwata, mas naturalmente jogar o jogo e completá-lo é algo que demanda tempo. Não apenas isso, eu resolvi jogar o jogo duas vezes por causa do quanto eu gostei do jogo. Porém, só pra não dizer que não é uma data especial, hoje é o segundo aniversário deste blog, obrigado a todos os leitores, espero que continuem lendo.
Enfim, vamos ao review. EarthBound, chamado de Mother 2 no Japão, é uma criação de Shigesato Itoi, um homem famoso atualmente pelo seu site de notícias e que participou como diretor e roteirista dos três jogos da série Mother, incrivelmente popular no Japão. EarthBound age como sequência do primeiro jogo lançado para Famicom (e anos depois para o VC ocidental do Wii U com o nome EarthBound Beginnings), ele conta a história de um garoto chamado Ness que, após a queda de um meteoro em uma colina próximo à sua casa, descobre que tem poderes psiquicos e é o escolhido, junto de mais outras três crianças, para combater e derrotar o invasor alienígena chamado Giygas, boa parte da aventura é focada em causar reações sortidas e profundas aos sentimentos do jogador, muitas vezes colocando os protagonistas em problemas e situações adultas, porém tudo regado à doses maciças de bom humor e piadas que permanecem atuais até hoje. EarthBound, embora tenha sido um fracasso em vendas quando lançado originalmente para Super Nintendo, conseguiu produzir uma das fanbases mais unidas e devotas da indústria, consolidando o jogo como um clássico cult. Continuar a ler